terça-feira, 11 de outubro de 2011

2 Coríntios 4.7

"Mas temos esse tesouro em vasos de barro, para mostrar que este poder que a tudo excede provém de Deus, e não de nós. "  2 Coríntios 4.7

O apóstolo Paulo nos mostra no texto acima um aparente paradoxo: tesouros em vasos de barro. O Senhor se revela como o Oleiro (Jr. 18), e nós, como sua criação, somos o barro do qual é formado um vaso utilizado conforme a Sua vontade. 


O preparo para este vaso é intenso. Tão frágil, era usado para guardar desde água até pergaminhos e tesouros.
Feito de água e lama, o que torna consistente, o vaso é moldado pelas mãos do Oleiro, que durante o manuseio sente as imperfeições e as escórias que possam existir. 

Trabalhando lenta e manualmente, o Oleiro busca moldar o vaso para o fim que Ele deseja.
Deus colocou o seu tesouro precioso em nós, a vida Dele que age de acordo com o Espírito em cada vaso de barro. Disponha-se a ser moldado por Ele e para Ele em todas as circunstâncias!
Carla Priscilla
Portas Abertas Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário